Ir para conteúdo




Foto

10 fotografias mais caras do mundo


  • Por favor, faça o login para responder
58 respostas neste tópico

#21 Lindsay

Lindsay

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 3.800 posts

Postado 23 julho 2013 - 02:34

Duas fotos curiosas pescadas na web sobre Rhine II e Gursky:

A primeira foto mostra a obra exposta na parede, para se ter uma noção de como seria a contemplação:

Imagem Postada


Esta outra foto é uma reprodução do vídeo que mencionei acima, no momento que Gursky leva Ben Lewis à beira do Rio Reno para explicar como ele fez a foto, de quebra ele próprio (Gursky) explica porque gosta tanto dela (na época era a sua preferida). Aqui é fácil de ver várias construções/edifícios de fabricas que haviam ao fundo (no horizonte), e que foram retiradas na edição/concepção da obra.

Imagem Postada
Eu não posso ensinar nada a ninguém, eu só posso fazê-lo pensar. (Sócrates)

#22 Alessandro_sp

Alessandro_sp

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 18.420 posts

Postado 23 julho 2013 - 03:38

Sabe, às vezes eu penso que gente compra essas obras mais por uma guerrinha de vaidades do que por outro motivo. "Eu comprei, agora ninguém mais pode - esta é a única..."

Retorno do investimento não me parece a razão, afinal quem pensa nisso somos nós, pobres, que não podemos torrar 10 milhões sem pensar que se der errado estaremos na grande fossa de novo.

Eu olho essa foto e não acho um único motivo pra gostar dela. Nem que seja possível ver os pêlos das folhas de capim. A outra foto, do supermercado, até acho interessante pois automaticamente tenho vontade de ver cada rótulo, de saber de qual produto se trata... Essa vai na contramão da outra, é bastante minimalista mas de uma maneira que não me agrada.

Ainda mais ao saber que se trata de uma montagem, ou seja, não existiu uma procura pelo ângulo perfeito, pelo horário perfeito. O que existiu foi uma visão do cara em transformar o local original em algo estéril, e convenhamos, poderia ser feito em CG já que é uma fantasia da cabeça dele. Fantasia por fantasia sou mais o Roger Dean, que, mais modesto, vende pôsteres das obras dele na casa das dezenas de dólares :post:

#23 Waldyr Neto

Waldyr Neto

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 3.936 posts

Postado 23 julho 2013 - 04:01

Com tudo o que foi dito, e mais uma vez ressaltando que compreendo o valor e até gosto de algumas fotos da lista, a Rhein II não me convence sob nenhum aspecto. Foto monótona, de tema irrelevante, photoshopada, não vejo inovação alguma nela ... Vai entender.

Quer a sensação de imersão numa paisagem emoldurada extremamente nítida e detalhada... Compra uma casa de campo e abre um janelao. Ainda vem de graça o vento e o cheiro de mato. E não vai custar o que custou a foto.

Mas isso não importa pro janotinha que comprou a Rhein II. Como ele vai se exibir "só" com uma casa de campo ( ou qualquer outra coisa corriqueira ) . Tem que ter uma foto feia que seja exclusiva e absurdamente cara pra tirar onda.
Imagem Postada

#24 Alessandro_sp

Alessandro_sp

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 18.420 posts

Postado 23 julho 2013 - 04:51

Quem tem dúvida do exibicionismo do "cerumano" :lol:, só dar um pulo neste site:

Rich Kids of Instagram

Acho que explica muito mais sobre os ricos e suas personalidades do que essa foto explica sobre a arte, rs...

#25 Patagonico

Patagonico

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 3.263 posts

Postado 23 julho 2013 - 05:00

"Uma Guerrinha de vaidades" como citou o Alessandro, pra min é isso. Eles ficam brincando com seus títulos ( artes ), quem quiser a "coroa" tem que pagar ( investimento ). Se ao menos houvesse um leilão que destinaria parte desse volume estratosférico para algum tipo de ajuda humanitária ou de outra natureza que seja, não seria tão ruim, mas não ao longo do tempo o que se desenvolveu foi uma estrutura para essas atividades no "mundo da arte" onde tudo ( principalmente exibicionismo ) menos a razão são o combustível que o-alimentam.

#26 ModoArtes

ModoArtes

    Caramba, daqui a pouco enjoam de mim

  • Membro +
  • PipPipPipPipPip
  • 258 posts

Postado 23 julho 2013 - 05:15

É uma boa forma de lavar dinheiro..

#27 Simonetti

Simonetti

    Eu pergunto muito

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPip
  • 462 posts

Postado 23 julho 2013 - 05:30

É uma boa forma de lavar dinheiro..


Touché!

Não a toa a Rússia tem vários "colecionadores". É só uma questão de tempo até que o PCC e o CV comecem a gostar de arte também!

#28 Patagonico

Patagonico

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 3.263 posts

Postado 23 julho 2013 - 05:30

É uma boa forma de lavar dinheiro..

Boa Modo, talvez seja um dos principais motivos, pra min isso dispensa qualquer outra explicação!

#29 Rodrigo Pereira

Rodrigo Pereira

    Manda qq uma que eu respondo

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 2.397 posts

Postado 23 julho 2013 - 06:00

Se vocês fossem convidados a participar desse mundo, vendendo suas fotos a centenas de milhares ou milhões de dólares, aceitariam?

#30 Marcos Dantas

Marcos Dantas

    Estou viciado nisso aqui

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPip
  • 1.049 posts

Postado 23 julho 2013 - 06:06

Quem tem dúvida do exibicionismo do "cerumano" :lol:, só dar um pulo neste site:

Rich Kids of Instagram

Acho que explica muito mais sobre os ricos e suas personalidades do que essa foto explica sobre a arte, rs...


[psicólogo de boteco MODE ON] Isso é coisa de pobre! Quem é rico, mas muito rico mesmo, fica na encolha, não precisa ficar se mostrando por aí. [/psicólogo de boteco MODE OFF]

#31 Alessandro_sp

Alessandro_sp

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 18.420 posts

Postado 23 julho 2013 - 07:52

Se vocês fossem convidados a participar desse mundo, vendendo suas fotos a centenas de milhares ou milhões de dólares, aceitariam?


Tem que lembrar que não foi o Gursky que botou preço na foto dele. Acho que o problema nem é ele, e sim o hype que se cria em cima da arte (além de um monte de outras coisas).

Obviamente que o cara não ficou triste :lol: e tampouco qualquer um de nós ficaria. Se comprassem uma foto minha eu ia pro lado da vidraça levar pedrada numa boa, afinal o que conta é o gosto de quem comprou.

#32 Alessandro_sp

Alessandro_sp

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 18.420 posts

Postado 23 julho 2013 - 07:53

Ah, pensando um pouco em quem gosta e quem não gosta dessa foto do cara, será que existe uma prevalência de fotógrafos de paisagem que não gostam?

#33 Marcelo das Fotos

Marcelo das Fotos

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 4.552 posts

Postado 24 julho 2013 - 10:29

Estudo atesta pico de euforia no mercado brasileiro de arte

marcelo versiani

meu flickr


#34 Abrantes

Abrantes

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 6.174 posts

Postado 24 julho 2013 - 11:25

Caro é aquilo que nós não temos dinheiro para comprar ou caro é o que achamos que não vale o preço?

#35 Simonetti

Simonetti

    Eu pergunto muito

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPip
  • 462 posts

Postado 24 julho 2013 - 11:43

Caro é aquilo que nós não temos dinheiro para comprar ou caro é o que achamos que não vale o preço?


Me faz lembrar uma das primeiras propagandas da Jaguar, no começo dos anos 90, assim que começaram a ser importados para o Brasil, quando o Collor liberou a importação. A propagandas deles tinha a frase na seguinte linha:

Jaguar - Um carro para quem não precisa perguntar quanto custa.


Voltando à foto fo Gursky, e falando em semiótica:

Talvez ela tenha algum significado para quem conheça a região do Reno onde a foto foi tirada. Pelo que vi em outros sites, é uma região altamente industrializada. Para estas pessoas, talvez a foto remeta a alguma reflexão, a alguma lembrança. A própria ausência das indústrias e pessoas na foto é o significante que a foto trás.

Para nós que não conhecemos aquilo ali, a foto não nos leva a qualquer reflexão: estarmos inertes ao seu apelo.

Para nós não existe o fator significante x significado na foto. Não temos o background cultural para "ler" a foto ou sequer admirá-la. Daí, fazemos isto apenas do aspecto técnico. Obviamente, tecnicamente, a foto não tem nada de surpreendente.

#36 Rodrigo Pereira

Rodrigo Pereira

    Manda qq uma que eu respondo

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 2.397 posts

Postado 24 julho 2013 - 12:44

Analisar uma foto pelo aspecto técnico é a mesma coisa que analisar um livro pela cor da capa.

#37 Lindsay

Lindsay

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 3.800 posts

Postado 24 julho 2013 - 01:27

Puxando uma cadeira e sentando à mesa...


Um aspecto comum na maioria das obras da lista, é que são obras de arte, e apesar de poder ser entendido/percebido como simplesmente fotografias, são criações artísticas.

Existe ai uma questão a ser entendida, na razão de cada um, envolve o fato de que se consigo usar uma câmera eu tbm posso fazer aquela fotografia.

Assim sendo, no caso de Rhine II (e algumas outras), supondo que alguém goste daquela imagem, basta ir ao local para se fazer a mesma fotografia, e, por consequência:

1) Não precisaria gastar tanto para ter aquela fotografia.
2) Difícil entender porque alguém gastaria tanto para compra-la.
3) Se o artista pode eu tbm posso ser valorizado com toda aquela grana, basta fazer a mesma foto com minha câmera.

Estas questões incomodam, se deparam com valores individuais, e cutucam a razão das pessoas.


Conclusão rápida e intima: "Com uma câmera eu posso tudo, neste âmbito me nivelo aos outros, em todos os aspectos."
Eu não posso ensinar nada a ninguém, eu só posso fazê-lo pensar. (Sócrates)

#38 Simonetti

Simonetti

    Eu pergunto muito

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPip
  • 462 posts

Postado 24 julho 2013 - 01:36

Analisar uma foto pelo aspecto técnico é a mesma coisa que analisar um livro pela cor da capa.


Concordo e discordo. Por um lado, seu comentário pode ser extrapolado para qualquer tipo de arte: o sentimento e reflexão evocados pela obra é que deveriam ditar nossa apreciação.

Por outro lado acho que a análise técnica é importante também, embora, como já disse, não deve balizar o veredito final. No caso desta foto e na minha opinião, o fator do simbolismo do que está ausente da cena, é que manda no valor dela como arte.

Pensando desta forma, estou até começando a mudar minha opinião a respeito da foto do Gursky, e achá-la menos monótona. Ela passa a ficar interessante se pensarmos nela como uma foto do que está ausente, ao invés do que podemos ver. Ela é algo como "o que poderia ter sido se...". Vá lá que não vale tudo o que foi pago, mas acho que existe nela um mérito sim.

Por outro lado, esta análise que faço só é possível quando se conhece como é na realidade o local onde a foto foi tirada. Achei no Google Images. Daí não é uma "arte pela arte", mas sim uma arte cuja apreciação requer algum conhecimento prévio.

#39 Abrantes

Abrantes

    Sou completamente Louco pelo Brfoto

  • Membro +
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 6.174 posts

Postado 24 julho 2013 - 03:28

A precificação da obra de arte é algo que não pode ser explicado racionalizando desta maneira, porém eu sou ainda mais radical do que vcs, penso que isto vale tanto para uma obra de arte quanto um almoço um carro, um tênis, tudo...o preço de tudo não passa de um acordo entre as partes.

Como eu posso explicar que eu compro um livro fantástico na Amazon por 10 dólares (muitas vezes um livro que pode mudar a sua forma de pensar) e por estes mesmos 10 dólares eu almoço em um restaurante bem mequetrefe aqui no centro do Rio?

Então para precificar corretamente os objetos temos que ter em conta se o valor empregado pode ser contido e preservado no objeto através de liquidez, no caso de uma obra de arte isto vai depender da existência de um mercado secundário.

Mas voltando ao caro e barato consideremos os seguintes “objetos”:

Um celular de 2,5K, um carro de 70K, um apartamento de 1,5M e títulos públicos no valor de 5M. Dentre os objetos acima qual é o mais caro? Da para avaliar isso?

O celular vale apenas pelo seu uso então para saber se vc vai pagar ou não o preço vai depender da sua necessidades em relação aos recursos que ele oferece. Depois de um ano ele não vale nada, depois de 2 anos provavelmente ele não vale nada nem para vc já que muitas das funções são consideradas “desatualizadas”etc.

O carro perderá 20% do valor em 1 ano, do ponto de vista de investimento é um péssimo negócio porém ele guarda mais valor do que o celular já que existe um mercado secundário abundante para vc devolver ele. Além do que ele se paga pela função (dependendo da necessidade da pessoa é claro).

O apartamento de 1,5M conserva inteiramente seu valor podendo até ganhar valor acima da inflação (dependendo de n fatores etc,..).

O título público pode ganhar valor ou na pior das hipóteses conservar se for um lastreado pela inflação e tem rápida liquidez.

Então analisando estes objetos vc pode perceber que o dinheiro colocado no celular é um “gasto” que jamais irá retornar. Enquanto que o apartamento é um valor que vc conservou. Vc só trocou 1,5M no banco por 1,5M em imóvel o mesmo vale para o titulo publico.
(Do meu ponto de vista um celular de 2.5K ta caro pra cacete rsss)

Então é interessante separar os “objetos” para verificar se eles são, gastos, investimentos, etc,..

No caso da obra de arte a lógica é exatamente a mesma. Se a pessoa compra algo que tem liquidez, pouco importa se custou 10 mil ou 10 milhões a única coisa que importa é se o cara tem dinheiro para brincar com aquilo. Eu não acho que quem compra obra de arte é mal informado, muito pelo contrario ele pode ate mesmo não entender bolhufas de arte mas pode entender do mercado. Inclusive existem fundos especializados em arte que formam cotas para compra de obras de artistas emergentes,...claro...é possível que exista uma máfia especializada em “dar valor” aos “escolhidos” através de agentes, marchands, etc,...([modo irônico] - será que existe?? KKKKK)

Mas a explicação não é so a “lavagem de dinheiro”...a verdade é que a precificação das coisas é um acordo de mercado e se um quadro vale 10 milhões e todos concordam (quando digo todos estou falando do mercado que efetivamente compra este tipo de coisa, não da pessoa comum que nem eu rsss) , então a pessoa se sente segura para comprar.

Vc pode não saber mas mesmo quando almoça num restaurante, compra um carro ou uma lente também compra por causa da sensação de que o preço esta correto, esta sensação vem do fato de que “todo mundo” esta pagando o preço que vc comprou.

 

Muito comum (mais comum no caso mas mulheres rsss ) a pessoa comprar uma linda roupa na loja, ficar super feliz, e depois de alguns dias a mesma roupa entrar em liquidação e custar um terço do preço. A felicidade vai embora e vem uma sensação de injustiça por ter pago mais caro. Porque isto acontece? Porque o preço é subjetivo,..e neste caso o “acordo” foi quebrado.
  • Rodrigo Pereira, Fabiozoo e igorschutz curtiram isso

#40 Rodrigo Pereira

Rodrigo Pereira

    Manda qq uma que eu respondo

  • Admin
  • PipPipPipPipPipPipPipPipPip
  • 2.397 posts

Postado 24 julho 2013 - 03:40

O Abrantes explicou muito bem. E é por isso que não adianta procurar na obra em si o motivo do seu valor: a explicação está nos contextos econômicos, sociais, psicológicos etc.




1 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membro(s), 1 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)